Fabio Procópio

Coaching, Vida e Carreira.

Site do Coach Profissional Fabio Procópio, membro da Academia Brasileira de Coaching e Relações Públicas pela UNESP.

Entrevista: Coach Marcelo Yamin

Marcelo Yamin

Marcelo Yamin

Para a entrevista dessa semana, convidei o coach Marcelo Yamin, que é sócio fundador da Ycoach para falar um pouco de sua atuação profissional no nicho de coaching de carreira para jovens. Agradeço ao Marcelo pela entrevista concedida e indico o ótimo trabalho feito por ele.

Marcelo, você trabalha com coaching de carreira para jovens. O que te fez entrar neste universo? Conte-nos um pouco sobre sua trajetória até aqui.

Um dos motivos principais que me fizeram trabalhar com coaching de vida e carreira, com foco na ala jovem, se dá principalmente em razão do meu histórico profissinal e de vida, onde eu vivenciei por diversas vezes crises e turbulências. O que eu quero dizer com isso; imaturidade e falta de autoconhecimento que resultou num caminho doloroso, de dúvidas e questionamentos sobre o que fazer profissonalmente. Hoje depois de ter passado por um processo de coaching entre outras coisas, posso afirmar que sou uma pessoa realizada. Atualmente mais do que nunca, tenho como causa ajudar e passar ao jovem tudo aquilo que eu não tive lá atrás, ou seja, orientá-lo através de mentoria, coaching e experiência de vida.

Quais são as principais demandas dos jovens que chegam à YCOACH? Acredita que essas demandas podem ser "solucionadas" apenas por um bom processo de coaching?

Em relação à primeira parte da pergunta, prefiro elucidá-la, com base nos momentos da vida profissional do jovem em que trabalhamos, a saber;

desde aquele jovem que está em dúvida sobre qual curso ou profissão deseja seguir, em que nesse caso fazemos um trabalho de “coaching vocacional”, uma mistura de trabalho de coaching com mentoria;

O jovem que já está na graduação, mas tem ainda dúvidas sobre o curso que está fazendo, bem como não tem a exata certeza se deseja trabalhar numa grande coorporação, se deseja trabalhar no negócio da família, se deseja empreender ou fazer intercâmbio;

Aquele jovem que tem a famosa “crise dos 30 anos” – (foi o que aconteceu comigo), depois de alguns anos de carreira, o indivíduo resolver dar um basta e deseja dar aquela famosa, “virada de chave”, querendo mudar completamente sua profissão e/ou sua atividade;

Por fim, recebemos o jovem que está satisfeito com sua vida professional, tanto dentro de uma empresa, como com o próprio negócio, mas precisa exercer alguma função de liderança ou necessita performar melhor, daí que a gente entra com o coaching para ajudá-lo no que for necessário.

Em relação a segunda parte da sua pergunta, vejo no processo de coaching não uma “tábua de salvação” de demandas, mas sim um guia que orienta os passos que a pessoa tem que dar para a tão esperada mudança, Sem o comprometimento e a disposição da outra parte em mudar seu staus quo, o coaching dificilmente funcionará. Tem uma frase que eu gosto muito e que está adesivada na parede da minha empresa, a saber; “A mudança é uma porta que só se abre por dentro”.

Sei que você também tem forte atuação em projetos sociais. Como isso se faz presente hoje na sua vida e qual você acredita ser o impacto disso na sua atuação profissional hoje?

Desde sempre fui uma pessoa engajada socialmente e institucionalmente.

Isso para mim tem sido muito enriquecedor. Primeiro pelo fato de estar de alguma forma contribuindo para que o mundo, e principalmente, o Brasil seja um lugar cada vez melhor. Segundo que, por intermédio dessas minhas inserções eu tenho tido a oportunidade de aumentar minha rede de relacionamento e melhorar ainda mais meu autoconhecimento e minha maturidade como ser humano e professional, com as vivências e oportunidades que me tem aparecido. Sem falar no plus que a proposta da Ycoach hoje tem, que é beneficiar nossos clientes também por meio da minha rede de relacionamento.

Na sua opinião, a cultura organizacional das empresas de hoje é um dos grandes impasses para a felicidade no trabalho destes jovens em início de carreira?

Acredito que tanto os jovens de hoje, quanto as empresas, se complementam na dificuldade que hoje existe em aceitar e entender um ao outro de uma maneira harmoniosa. Pelo lado da empresa se encontra um cenário inédito de coexistência de várias gerações no mesmo ambiente de trabalho havendo com isso tremores de convivência comportamental e ideológica. Pelo lado do jovem, a dificuldade de “entrar no jogo” se dá pelas expectativas fora da realidade e uma grande resistência em aceitar críticas negativas”, bem como “uma visão inflada sobre si mesmo”. Eles geralmente se sentem merecedores de respeito e recompensa que não estão de acordo com seus níveis de habilidade e esforço, e talvez não obtenham o nível de respeito e recompensa que estão esperando”

Qual mensagem você deixa para os jovens que estão iniciando suas carreiras neste momento e estão à procura do "emprego dos sonhos"?

Minhas dicas são; Continue ferozmente ambicioso. O mundo atual está borbulhando de oportunidades para pessoas ambiciosas conseguirem sucesso e realização profissional. O caminho específico ainda pode estar incerto, mas ele vai se acertar com o tempo, apenas entre de cabeça em algo que você goste;

Pare de pensar que você é especial. O fato é que, neste momento, você não é especial. Você é outro jovem profissional inexperiente que não tem muito para oferecer ainda. Você pode se tornar especial trabalhando duro por bastante tempo;

Ignore todas as outras pessoas. Essa impressão de que o gramado do vizinho sempre é mais verde não é de hoje, mas no mundo da auto-afirmação via redes sociais em que vivemos, o gramado do vizinho parece um campo florido maravilhoso. A verdade é que todas as outras pessoas estão igualmente indecisas, duvidando de si mesmas, e frustradas, assim como você, e se você apenas se dedicar às suas coisas, você nunca terá razão pra invejar os outros;

E finalmente “Keep Calm, Work Hard e Stop Mi-mi-mi

 

Sobre Marcelo Yamin

Advogado, com extensão em Certificate Business Administration pelo INSPER. É Coach certificado internacionalmente pela Academia Brasileira de Coaching (Behavioral Coaching Institute) e Practitioner em Programação Neurolinguística.
 Atualmente é sócio fundador da Ycoach, onde realiza atendimentos de coaching, palestras e workshops, além de escrever como colunista do Blog Sidnei Oliveira na EXAME.COM e da revistaexper.com.br - A revista da Indústria .Na área social/institucional foi um dos co-fundadores e diretor do Comitê de Jovens Empreendedores da FIESP - CJE/FIESP, grupo jovem que fomenta o empreendedorismo. Faz parte do comitê de gestão do LIDE FUTURO - grupo de jovens empresários.