Fabio Procópio

Coaching, Vida e Carreira.

Site do Coach Profissional Fabio Procópio, membro da Academia Brasileira de Coaching e Relações Públicas pela UNESP.

Depoimento: Geisa Paiva e suas descobertas com o coaching

“O ano de 2013 tem sido um tempo de grandes mudanças na minha vida, as quais me desafiaram a dar um passo além para sair da minha zona de conforto. A “grande crise” veio logo após a Jornada Mundial da Juventude. Os discursos do Papa Francisco me inquietaram. Cheguei a conclusão de que só o que eu estava vivendo não me satisfazia plenamente e precisava de algo novo. Então surgiu a questão-chave: “mas o que eu vou fazer”?

Geisa Paiva - Relações Públicas da Fundação João Paulo II - Canção Nova

Geisa Paiva - Relações Públicas da Fundação João Paulo II - Canção Nova

Eu já havia lido algumas coisas sobre coaching e, providencialmente, vi uma postagem do Fábio nas redes sociais neste período que eu buscava soluções.

Na primeira conversa - sessão zero - já tive um encontro impactante comigo mesma: quem é a Geisa? Esta pergunta era inevitável. Foi um grande desafio o “voltar-se para dentro”, a busca do autoconhecimento, fazer um levantamento das minhas qualidades, olhar para o que eu tenho de bom, me abrir para escutar como as pessoas que me são queridas me veem e, principalmente, deixar de ser uma procrastinadora!

Eu me questionava o porquê de tudo isso se, basicamente, o meu maior objetivo nesta caminhada era definir uma especialização ou mestrado para aumentar minha qualificação e realização profissional.

Vim ter as respostas destes porquês no momento em que defini minha missão de vida e meus valores. Muito além do que escolher por uma pós-graduação, a vivência do coaching me fez perceber que o mais importante não é o que escolher, mas que as minhas decisões sejam construídas a partir dos meus valores e missão. Quando estamos cientes dos nossos parâmetros fica mais fácil arriscar, dar um passo que é fundamental para chegar ao seu objetivo. Até este momento, a palavra "arriscar" não era frequente no meu vocabulário e, ao longo das sessões, o Fábio me fez ter um novo olhar sobre ela.

Hoje temos um leque de possibilidades e oportunidades, porém é importante ter um sentido em cada ação. Assim a vida fica mais leve, nos permite apreciar mais cada detalhe do caminho que estamos trilhando. Ainda tenho muitos passos para dar, as metas a longo prazo precisam ser alcançadas e, em cada novo desafio vou poder colocar em prática o que aprendi com o coaching.

Fico com um trecho do poema “Morre Lentamente”, de Marta Medeiros, para não só refletir, mas nos fazer sair do mundo das ideias e partir para o que é real:

"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo. (...) Morre lentamente quem se transforma em escrevo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece. (...) Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com seu trabalho, ou amor, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos...

Viva hoje! Arrisque hoje! Faça hoje! Não se deixe morrer lentamente!"